Quarta-feira, 12 de Setembro de 2007

Ser Mãe...

Certo dia, uma mulher chamada Ana foi renovar a sua carta de condução. Quando lhe perguntaram qual era a sua profissão, ela hesitou... Não sabia bem como se classificar.

O funcionário insistiu:

- O que eu pergunto é se tem uma ocupação, um trabalho?

- Claro que tenho um trabalho, exclamou Ana, sou Mãe.

- Nós não consideramos isso um trabalho. Vou pôr “dona de casa”, respondeu o funcionário friamente.

Uma amiga da Ana, a Marta, soube do que se passara e, durante algum tempo, meditou no assunto. Num determinado dia, encontrou-se em situação idêntica. A pessoa que a atendeu era uma funcionária de carreira, segura, eficiente.

A primeira pergunta foi:

- Qual é a sua ocupação?
Marta pensou um pouco e, sem saber bem como, respondeu:
- Sou doutora em desenvolvimento infantil e relações humanas.
A funcionária fez um ar de estupefacção e Marta repetiu, palavra por palavra, a sua afirmação.
Depois de ter anotado tudo, a funcionária ousou perguntar:
- Posso saber o que a senhora faz exactamente?
Sem qualquer hesitação, em tom firme, com muita calma, a Marta explicou:
- Desenvolvo um programa a longo prazo, dentro e fora de casa...
E, pensando na sua família, ela continuou:
- Sou responsável por uma equipa e já recebi quatro projectos. Trabalho em regime de dedicação exclusiva. O grau de exigência é de 14 horas por dia, por vezes, mesmo de 24 horas.
À medida que ia descrevendo as suas responsabilidades, Marta notou um crescente respeito na voz da funcionária, que preencheu todo o questionário com os dados fornecidos.
Quando chegou a casa, Marta foi recebida pela sua equipa: três meninas de 13, 7 e 3 anos. Subindo ao andar de cima da casa, ouviu o seu mais jovem projecto, um bebé de 6 meses, a ensaiar um conjunto de novas sonoridades.
Feliz, Marta tomou o seu bebé nos braços e pensou na glória da maternidade, nas suas múltiplas responsabilidades e nas horas intermináveis de dedicação...
- Mãe, onde estão os meus sapatos?
- Mãe, ajuda-me a fazer os deveres...
- Mãe, o bebé não pára de chorar...
- Mãe, vais buscar-me à escola?
- Mãe, vais comigo à aula de ballet?
- Mãe, compra-me...
- Mãe...
Sentada na cama, Marta pensou:
- Se eu, sendo mãe, sou Doutora em desenvolvimento infantil e em relações humanas, o que serão as avós? E logo descobriu um título para elas: Doutoras-seniores em desenvolvimento infantil e em relações humanas. E as bisavós? Doutoras executivas-seniores. E as tias? Doutoras assistentes. E todas as mães, esposas, amigas e companheiras? Doutoras na arte de tornar a vida melhor.
E a história, de autor desconhecido, termina com um apelo: “Num mundo em que se dá tanta importância aos títulos, em que se exige sempre especialização nas mais diversas áreas profissionais, torna-te um(a) especialista na arte de amar”.
É assim a grandeza tantas vezes mal apreciada de ser Mãe. Para isso, não precisará de títulos académicos; mas, de certeza, que vai precisar cada vez mais dos conhecimentos das ciências humanas e da ciência do coração, da sabedoria e da generosidade, para se tornar uma especialista na arte de amar.
Construir um lar só dá para mulheres (e homens) que tenham descoberto a beleza do amor e a ponham acima de outros interesses na vida. Ser Mãe não implica que, a mulher deixe de ter acesso à cultura, ao saber, ao trabalho, à independência económica; mas, por favor, que tudo isso não relegue para um plano secundário a beleza do amor e a fonte de vida que traz em si.
 
Esta história foi-me enviada por uma pessoa amiga, que sabe o que é ser Mãe em condições bem difíceis. Porque é cheia de sabedoria e de afecto genuíno, quis partilhá-la contigo. Agora, é tua. Leva-a contigo e dá-a a mais pessoas.
Quando se ouvem tantos disparates a respeito da sexualidade a que falta significado, quando se promove cinicamente o aborto em vez de dignificar a vida e a maternidade, quando o governo não valoriza a família como condição para educar os novos cidadãos, em nome de que ciência e de que valores se fala??
A sociedade está a envelhecer e a política a definhar porque faltam especialistas na arte de amar...
-         
tags:
escrito por ban-tee às 12:20
| a tua palavra | favorito
6 comentários:
De Anónimo a 16 de Novembro de 2007 às 22:02
Lindo post :)
Fiquei até emocionada... tb sou doutora em desenvolvimento infantil e relações humanas :) umas vezes com mais dificuldades do que outras...com dias mais "gritantes" do que outros, mas posso com toda a certeza dizer que é daí, da minha "profissão" que vem a minha verdadeira felicidade!
Beijinho doce!
Fica bem!

(carochas_pirilampas.blogs.sapo.pt)
De ban-tee a 19 de Novembro de 2007 às 17:26
Obrigada pelo comentário.
Eu sou Mãe e gosto da minha profissão! Infelizmente (ou felizmente) tenho mais duas profissões que me ocupam o dia e a noite e não posso dedicar o tempo que gostaria à minha filha linda :)
De Inês a 17 de Setembro de 2007 às 23:06
Amiga as lagrimas correm-m de fio! Ta lindo...
um beijo gand
De ban-tee a 19 de Setembro de 2007 às 14:32
A primeira vez que o li também chorei. E nós que somos umas choronas... não ficaríamos indiferentes ao texto. Bj
De Coisinhas Especiais a 14 de Setembro de 2007 às 04:15
Adorei...Adorei...
Vou colocar no meu blog.
Beijinhos
Vânia
De ban-tee a 19 de Setembro de 2007 às 14:42
A intenção é mesmo que a mensagem seja divulgada, poderemos dessa forma contribuir para uma alteração de comportamentos...
Obriigada pelos comentários, bj

Comentar post

mais sobre mim

Dezembro 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

a fada passou em:

Dezembro 2012

Outubro 2012

Março 2009

Fevereiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Outubro 2006

Agosto 2006

Rabiscos

Rodolfo

E porque hoje é dia de ha...

Kefir

Beja na vanguarda das int...

Parabéns Maninha

De volta...

Aventura de Fim de Semana

Que horas são?

tags

todas as tags

De onde falam com Ban-tee


RSS